Capitulo 19 – O Deserto e o Gelo em Chamas

Merampth sem recobrar a consciência de súbito tocou seus lábios aos de Maat e ardentemente se beijaram e se entregaram a um momento de total volúpia.

Os corpos dos dois estavam em chamas, todos os sentidos a flora da pele, Merampth recostando Maat na espreguiçadeira começou-lhe a beijar-lhe sedutoramente … enquanto os lábios roubavam entre si momentos de prazeres, Merampth percorria com sua mão o vasto e voluoptuoso corpo de Maat, sentindo o calor e a firmeza de suas pernas ….

Passando por entre seu sexo, local onde ela estremeceu ao ponto de soltar sôfregos apelos de desejos e libido através de gemidos quentes e sensuais … subindo mais suas mãos ele repousa por seus seios .. rígidos cujas pontas estavam mais que rígidas e sensíveis ao toque …..

Como o decote do vestido era grande Merampth suavemente deixou a vista aqueles lindos e deliciosos seios os quais ele em um movimento de ardente paixão os degustou como raras frutas do outono, a cada caricia .. a cada sugada Maat se espremia sentindo todo seu ser repulsando e pulsando … seu sexo em total movimento já desferia o suco dos deuses.

Merampth com sua delicadeza após saciar sua sede de prazer em frutos dos deuses foi carinhosamente descobrindo o corpo deitado, corpo esse que dava solavancos de prazer a cada toque de seu algoz.

Merampth sentindo proximidade com a intimidade extrema de sua querida desfere o golpe final tirou-lhe o pouco de roupa que lhe cobria e lhe foi apresentada a doçura e delicadeza de uma mulher que tinha como chama o desejo pelo amor e que ali naquele momento era o momento deles.

Seguindo seus instintos ele foi beijando-a todo o corpo ate que suavemente chegou no seu sexo, só seu clímax da paixão e do tesão, degustou da fonte de prazer que lhe era proporcionado naquele momento, descobrindo em cada cm daquele corpo uma fonte de prazer inesgotável, como um potro selvagem ela se contorcia de alegria e prazer enquanto ele se fartava com sua seiva e mel de prazer que prazerosamente lhe entra entregue por seu sexo a ele.

Loucamente os dois se lascivavam ate que louco pelo momento em questão Merampth despe-se e lhe oferece ferramentas a fim de proporcionar maior prazer aos dois.

Maat aproxima-se de seu amante e delicadamente sente a pressão, a ardência, o latejar de seu membro em suas mãos que logo repousou em sua boca ávida por deliciar-se em um constante movimento.

Lascivo, tentador, era o movimento feito sobre seu membro. A única coisa que Merampth poderia fazer era fechar os olhos e se transfigurar em outra atmosfera e em outra vida, relembrando momentos que para ele não lhe pertenciam, mas que faziam sentido àquela hora.

Os dois se saboreavam mutuamente, de duas pessoas se transformavam aos poucos em uma única pessoa!!! O tesão que sentiam um pelo outro naquele momento causava forte erupção de desejo, o suor exalado pelos dois se comungavam em uma tormenta de cheiros agradáveis dos sexos …. de seus membros … de suas lascivas ….

Maat com olhos fixos em Merampth lhe proporcionava toda uma vibração de prazer …. mas foi quando ela pedindo com os olhos que fosse penetrada, e Merampth sem estima-la mais aproximou-se da mesma e delicadamente a penetrou .. a cada cm de penetração os músculos intravaginais se dilatavam para agasalhar de forma plena o sexo robusto e pulsante de seu amante.

Gemidos, respirações ofegantes, trocas de carinhos, palavras propicias para a ocasião eram profanadas a todo momento ….. Sedutoramente os dois se entrelaçaram em uma única pessoa …. a fricção do seus corpos … o contato de seus sexos .. a penetração ritmada e fustigante …. retentora e gloriosa … seu sexo se dilatara por completo para recebe-lo como homem, como amante, dando-lhe tudo o que tinha de mais secreto e intimo!!!!

Posições e diversas estripulias foram feitas … finalizando a copula com Maat em posição de 4 …. Merampth penetrava-a com toda sua virilidade, sentindo o corpo de sua parceira estremecer e os gemidos de total tesão e liberdade das ações…. os dois ofegantes …. alegres .. felizes .. dando-se um ao outro .. sentindo-se um ao outro … o sexo pulsante de Merampth penetrava cada vez mais intensamente a região de Maat, ela deleitava-se com tal movimento .. com tal pressão, com tal tesão, com tal volúpia, com tal momento … que se consagrou com o gozo mutuo dos dois .. em uma explosão dos sentidos … das forças, do ser, do espaço tempo.

Tudo naquele momento parou por completo .. os dois ligados um ao outro por meio da intimidade e explodidos de prazer riam de tanta alegria que não conseguiram sair dali …. desfalecendo-se ambos ………………………….. um prazer, um tesão ….. um suspiro … tudo o que ficou …….

Está gostando dos textos? Gostaria de contribuir com algum tema, elogiar ou criticar? É simples encaminhe um e-mail para cronicasdaluavermelha@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s